segunda-feira, 18 de junho de 2018

A Marcha

O parlamentar John Lewis é um ícone nos Estados Unidos e uma das principais figuras do movimento pelos direitos civis. Seu comprometimento com a justiça e a não violência o levou de uma pequena fazenda no Alabama para os corredores do Congresso norte-americano; de uma sala de aula segregada para a Marcha em Washington; dos ataques da polícia ao recebimento da Medalha Presidencial da Liberdade pelas mãos do primeiro presidente negro dos Estados Unidos.
A Marcha retrata a longa batalha de Lewis pelos direitos humanos e civis, seu encontro com Martin Luther King Jr. e a luta para dar fim às políticas de segregação no país.
Título: A Marcha
Série: A Marcha #1
Autor (a): John Lewis, Andrew Aydin, Nate Powel
Editora: Nemo
Número de páginas: 128


Vocês já sabem do meu amor infinito por HQs, afinal sempre estou falando aqui ou no instagram, sobre alguma que li e gostei muito. E hoje vim declarar todo o meu amor por A Marcha, lançamento da Nemo, que me deixou completamente encantada e se tornou uma das minhas HQs favoritas da vida.
Segregação racial foi um tema que me interessou, em especial por conta da luta de Martin Luther King, que foi um homem que sempre teve (e sempre terá) o meu respeito. Mas pouco sabia a respeito do John Lewis, um dos seis grandes, ícone nos Estados Unidos e uma das principais figuras públicas do movimento pelos direitos civis (essa parte eu copiei da orelha do livro, só pra dar aquela contextualizada bacana). Pois bem, eu confesso a vocês que meu foco sempre foi a luta do Dr. King e eu sempre tive verdadeira paixão por ele. Até que comecei a ler A Marcha e me apaixonei perdidamente pela história de John Lewis.
Desde pequeno o pequeno John já mostrava que seu lugar não era ali, no condado de Pique, no Alabama. Seu pai  possuía uma fazenda e, na época da colheita e do plantio, a prioridade não era ir à escola e sim ajudar a família. Por mais que ele implorasse, a resposta era sempre a mesma. Então ele se escondia e fugia, afinal de contas o seu futuro não estava ali na fazenda e na escola se sentia num paraíso.
Foi em 1954, quando estava no ensino médio, que ouviu falar sobre Martin Luther King Jr, um jovem pastor de Atlanta, e suas palavras pareciam ter sido dirigidas a ele. E foi o exemplo de King que fez com que fomentasse nele o desejo de fazer mais. O então garoto, que sonhava em ser um pregador, acaba indo a luta, usando como arma a filosofia que sempre acreditou: a da não violência.

Não sei explicar a vocês o quanto essa HQ mexeu com meus sentimentos. A história, contada pelo deputado John Lewis a dois garotos em seu gabinete, é emocionante do início ao fim. Através de suas lembranças vamos conhecendo um pouco sobre sua infância e adolescência e sobre seus sonhos. Lewis, desde muito jovem, sempre foi decidido e a cada novo quadrinho vamos tendo uma amostra do homem que ele virá a se tornar um dia.
Um dos pontos principais, na minha opinião, foi em relação as manifestações e boicotes liderados por Lewis e seus amigos às lanchonetes, nas quais os negros não podiam se sentar nos balcões. Todas as pessoas que participavam dos movimentos passavam antes por oficinas de não violência, onde eram submetidos a xingamentos e humilhações, para poderem saber como cada um reagiria sob pressão. Sempre foi essencial não reagir com violência aos insultos, proteger um ao outro e encontrar amor pelo seu agressor.
A Marcha foi mais uma daquelas leituras edificantes, que me fez ficar com olhos marejados e o com o coração apertado até o final. Apesar de já ter lido muito a respeito de segregação racial, foi a minha primeira HQ sobre o assunto e ver a representação daquilo tudo fez com que meu coração transbordasse de emoção. É impossível não se sentir tocado diante de toda a injustiça impostas a cada uma daquelas pessoas, impedidas de fazer tudo aquilo que queriam por causa da cor de sua pele.
Apesar da aparente leveza que os quadrinhos dão à história, não se engane: o que encontramos aqui é uma trama forte, envolvente, que choca, emociona e nos mostra a garra, o caráter e a retidão de um homem que buscava apenas direitos iguais para todos, independente de cor ou raça. A Marcha é o primeiro volume de uma trilogia e, como já falei anteriormente, estou ansiosa para os próximos volumes. 
Em relação ao trabalho gráfico, mais uma vez me vejo encantada. Gostei demais das ilustrações e a edição da Nemo está impecável,como sempre. Sou fã da editora e fico muito feliz em perceber o cuidado que tiveram com essa HQ.
Sei que não consegui expressar um terço de tudo que senti enquanto lia e do quanto A Marcha se tornou especial para mim, mas espero ter conseguido fazer com que você tenha sentido vontade de conhecer essa história que é, sem dúvidas, inspiradora.

6 comentários:

  1. Oi Neyla,
    Apesar de não curtir leituras com contexto politico e biográfico, fiquei bem curiosa por ser HQ, inclusive a outra da foto eu li também e foi a minha primeira e já amei.
    Adoro o trabalho da editora Nemo, tenho vários na estante.

    beijokas

    ResponderExcluir
  2. Que capa linda! Não conhecia a HQ, mas parece ser super diferente e boa. Gosto muito dessa coisa de colocar politica no meio, livros que "ensinam" são sempre mais legais. Amei a resenha
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Neyla.
    Eu fiquei encantada demais lendo a sua resenha dessa HQ.
    Tenho muito interesse em temas com questões raciais, então acho que vou gostar bastante.
    Já adicionei no meu Skoob.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Talvez se fosse um livro comum não me chamaria tanto a atenção, mas por se tratar de uma HQ, já me conquistou. Vou deixar anotada a sua dica.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Como você adoro HQs e apesar de não apreciar temas politicos, não tem como virar as costas para uma época que fez a historia de molhares e milhares de pessoas, sejam elas negras ou brancas. Fiquei muito interessada em conhecer essa HQ.
    Anotado a dica
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  6. Nunca li nenhuma HQ, mas estou pesquisando sobre algumas para começar a ler em breve. Amei sua resenha e deu para sentir que irei me sentir emotiva igual a você ( porque com certeza vou querer essa HQ rsrsr).

    Bjus** http://imagine-livros.blogspot.com/

    ResponderExcluir