quarta-feira, 13 de junho de 2018

Horror na Colina de Darrington


Em 2004, Benjamin Simons deixa o orfanato em que viveu desde a infância para ajudar alguns parentes num momento difícil: com sua tia debilitada e o tio trabalhando dia e noite, precisavam de alguém para tomar conta de sua prima Carla, de apenas cinco anos de idade.
No entanto, certa madrugada, a tranquilidade da colina de Darrington é interrompida por um estranho pesadelo, que vai tomando formas reais a cada minuto. Logo, Ben descobre-se preso numa casa que abriga mistérios, onde o inferno parece mais próximo e o mal possui uma força evidente.
Passaram-se mais de 10 anos. Isso tudo aconteceu quando Ben estava com dezessete anos, e foram experiências das quais ele preferia esquecer completamente…
Mas aquele passado o acompanha de perto. Ben sente que precisa voltar e sabe que, ou desvenda tudo ou sempre viverá com medo. Então, ele decide contar, e traz numa narrativa angustiante e rica em detalhes tudo o que viveu e todas as batalhas impensáveis que travou para tentar manter a si próprio e a jovem prima em segurança. E se descobre no centro de uma conspiração capaz de destruir até a sua própria sanidade.
Onde termina o inferno e começa a realidade?
Título: Horror na Colina de Darrington
Autor (a):Marcus Barcelos
Editora: Faro Editorial
Número de páginas:144


Não sei se já contei aqui no blog, mas sou uma grande consumidora de filmes de terror/suspense. Vejo muitos, principalmente quando estou de férias e tenho um tempo maior disponível. Porém, apesar disso, são poucos os livros de terror que li e os que passaram pela minha mão não foram, nem mesmo de longe, assustadores. Horror na Colina de Darrington me chamou atenção pelas resenhas que li no Skoob, onde o pessoal contava sua experiência e o quanto foi assustador ler ele. Esse foi o incentivo maior pra me jogar na leitura pronta pra não pregar os olhos a noite e, se você quiser saber como foi minha experiência, é só continuar lendo a resenha.
Aos 17 anos Ben passou pela experiência mais macabra de sua vida e ele nos narra essa história 10 anos depois de todo o ocorrido. Ele, que é órfão e passou toda a infância em um orfanato, descobriu há pouco tempo que possuía uma tia e desde então sempre passa o período junto com ela e sua família, formada pelo marido e duas filhas. Contudo, como sua tia está passando por um delicado problema que a mantém ligada a aparelhos dia e noite, ele decide passar mais tempo na casa e assim ajudar o tio a tomar conta da filha caçula deles, Carlinha. 
O tio, um homem muito ocupado, que trabalha bastante para poder pagar todas as despesas da casa e da esposa, fica muito ausente e, com a filha mais velha na faculdade,  não tem ninguém para cuidar da caçula que tem apenas 5 anos. A ida de Ben para a casa vem na hora certa e tudo estaria na maior normalidade até que coisas assustadoras começam a acontecer. E, em meio a um cenário cada vez mais caótico, com a tia presa em uma cama, o tio e a prima longe, ele precisará salvar a si mesmo e a priminha da escuridão que se aproxima.
O que falar desse livro? O que mais chama atenção nele é, sem dúvida, a edição linda! Esse é um daqueles livros que encantam por conta do trabalho gráfico e dos detalhes que fazem toda a diferença. As ilustrações são muito bacanas, com traços marcantes e me ajudaram a entrar ainda mais no clima da leitura. E já que estamos falando de clima, vamos pra parte que interessa: afinal,o que achei da leitura?
Horror na Colina de Darrington é um livro muito bem escrito, que certamente daria um bom filme caso fosse adaptado para as telonas. Porém, ao contrário de muitas pessoas que leram, eu não me assustei nem um pouquinho. Apesar de ser uma história que traz o sobrenatural de uma forma bem macabra, com seitas e pactos sendo feitos, achei bem tranquilo de ler e em nenhum momento fiquei com medo ou assustada. E acho que isso se deu por conta de um detalhe que, pra mim, fez toda a diferença: o clima de mistério.
Eu não sei quanto a vocês, mas eu sou o tipo que assusta quando existe uma atmosfera de suspense a rondar toda a história, quando o autor vai inserindo aos poucos pequenos detalhes e descrevendo, não só o que acontece ao redor, mas também as sensações que o personagem está tendo naquele momento. Teve essas descrições? Teve! Mas não ao ponto de me fisgar completamente, porque, ao meu ver, faltou suspense e isso foi algo que pesou bastante na hora da minha avaliação final.
Achei a história bem coerente e ela me manteve atenta o tempo todo. A leitura possui um ritmo bem ágil e a narrativa é direta, não usando de rodeios pra expor os fatos apresentados. O autor soube explorar bem  o lado sobrenatural e trouxe elementos diferentes à trama, enriquecendo-a de detalhes mais macabros.
Ben é um personagem fácil de gostar, que faz com que desperte no leitor aquele sentimento de proteção, de querer cuidar e esperar que consiga sair ileso de tudo que está acontecendo. Os demais personagens tem pouco destaque, mas cada um deles tem um papel importante na trama e, ao passo que avançamos, vamos descobrindo mais segredos a respeito de alguns deles.
De uma forma geral, eu gostei do livro. Achei um livro bacana, de leitura rápida e que me deixou focada do início ao fim. A trama em si achei bem morna e esperava mais em relação a emoções. Não que eu esperasse ficar com medo, mas criei expectativas demais e acabei percebendo que ele era bem diferente do que imaginava. Na minha opinião, faltou um pouco mais de suspense e espero que, no próximo livro, ele consiga se superar nessa parte. Estou bem curiosa pela continuação, afinal ainda ficaram algumas coisas em aberto e uma delas me deixou com a pulga atrás da orelha. Espero me surpreender.



2 comentários:

  1. Eu amo terror/horror, amo livros sobre o sobrenatural, obviamente esse me chamou a atenção, ainda mais por ser nacional. Tenho lido autores brasileiros no kindle unlimited, tem muuuito material bom lá. Já adicionei aos livros que quero ler no skoob. :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Neyla.

    Também sou consumidora de filmes de terror/suspense e livros, eu tenho conquistado as edição físicas aos poucos por falta de dinheiro mesmo. Este livro que você resenhou eu tenho muita vontade de lê-lo porque ele parece ser muito bom. Minha curiosidade aumentou com a sua opinião. Vou tentar tê-lo nem seja em Digital para conhecer a história.

    Bjos
    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir