segunda-feira, 25 de junho de 2018

Nada Escapa a Lady Whistledown

Em Nada Escapa a Lady Whistledown, a cronista eternizada por Julia Quinn continua a revelar os acontecimentos mais apimentados da temporada londrina. Suas colunas são o fio condutor das quatro histórias que formam esta encantadora e divertida coletânea.
Há tanto a ser dito sobre o baile oferecido por lady Trowbridge, em Hampstead, que esta autora não teria como contar tudo em só uma coluna...
Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1813
Julia Quinn encanta...
A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente... apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis.
Suzanne Enoch fascina...
Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas.
Karen Hawkins seduz...
Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro.
Mia Ryan delicia...
Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.
Título: Nada Escapa a Lady Whistledown
Série: Lady Whistledown #2
Autor (a): Suzanne Enoch, Karen Hawkins, Mia Ryan e Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 320


E finalmente chegou a hora de falar desse segundo (porém primeiro) livro de contos. Já contei aqui a respeito das minhas impressões a respeito de Lady Whistledown Contra-Ataca e hoje é a vez de falar do novo livro, tão aguardado por mim. Se você leu minha primeira resenha, sabe que tive minhas ressalvas a respeito do livro anterior. Os contos ficaram um pouco abaixo do que eu esperava e somente um me ganhou por completo. Minha expectativa para esse é de que as coisas fossem diferentes e que as histórias me agradassem mais. Será que conseguiu?
Em Nada Escapa a Lady Whistledown, temos mais uma vez quatro histórias bem distintas, com personagens que se cruzam em determinadas cenas e que trazem em seu enredo, tramas românticas, divertidas e até mesmo um pouco mais ousadas.
A primeira história se chama Um Amor Verdadeiro e é escrita pela Suzanne Enoch. Aqui vamos conhecer a jovem Anne que foi prometida, desde que nasceu, ao marquês de Halfurst. Isso não é algo que a agrade, principalmente porque ela nunca viu seu noivo e, em sua fértil imaginação, ele não passa de um homem de meia idade, careca e criador de ovelhas. Imagine só o susto dessa moça quando ele, após ler a respeito de seu comportamento não muito aceitável na coluna de lady Whistledown, chega em casa e se mostra totalmente o oposto daquilo que ela achava. Contudo, por mais atraente que ele seja, ela não está disposta a levar esse casamento adiante, principalmente por que não concorda com os termos que lhe são impostos. O marquês precisa conquistá-la, mas será que conseguirá vencer a resistência de uma mocinha tão voluntariosa?
O segundo conto é o Dois Corações, da Karen Hawkins e vai contar a história de uma mocinha que é totalmente adversa àquilo que a sociedade prega. Dona de um gosto peculiar, ela não segue a risca a moda e usa aquilo que bem entender, mesmo que isso não agrade aos que estão ao seu redor. Ela é dona de uma personalidade marcante e única, o que a torna tão interessante. Contudo, por conta da idade e já considerada uma solteirona, decide casar-se e tem até mesmo um pretendente, um homem mais apagado, porém de boa índole e que demonstra gostar dela. Tudo seria perfeito se não entrasse no meio um velho amigo, homem libertino e que a conhece há tantos anos e que, ao saber do futuro enlace, acaba se dando conta de que sempre a amou. Nosso mocinho precisa agora correr contra o tempo e fazer com que ela perceba que o homem certo para estar ao lado dela é ele.
A terceira história, da Mia Ryan, se chama Uma Dúzia de Beijos e nela conhecemos Linney, jovem e bela, mas também triste já que terá que casar-se com alguém que não deseja. E tudo isso pra poder ajudar sua família. O que aconteceu é que eles foram expulsos da casa onde morou a vida inteira pelo novo dono da propriedade, o marquês de Darington, primo de seu falecido pai. Sem ter o que fazer, resta apenas a ela aceitar seu destino. Tudo muda quando ela, finalmente, conhece o dito marquês... e acaba descobrindo que ele é bastante atraente e gentil, diferente da figura que idealizava. Será que essa aproximação entre eles vai acabar mudando o rumo da história da nossa mocinha?
E o último, e mais fofo de todos, é o conto da Julia Quinn, Trinta e Seis Cartões de Amor, onde conhecemos uma mocinha que passou por uma enorme humilhação amorosa. Ela, que foi cortejada avidamente pelo irmão do conde, se viu surpreendida, junto com toda sociedade londrina, quando o pedido de casamento aconteceu...para outra moça. Desolada, ela precisa viver com a constante humilhação que o ato do rapaz ocasionou: agora é o alvo de fofocas e nenhum rapaz se aproxima mais dela, o que a coloca em uma situação difícil, já que sem pretendentes não tem como se casar. Tudo muda quando o conde, irmão de seu antigo pretendente, se aproxima dela, fazendo com que os demais rapazes voltem sua atenção para a moça. Porém, o que parecia ser um simples gesto para tirá-la da humilhação, acaba se transformando em algo mais forte quando ambos começam a se encontrar com mais frequência e se conhecerem melhor.

Já vou pedindo desculpas pela resenha enorme, mas falar do que achei, sem antes dar uma pincelada em cada conto, seria um pouco difícil. Mas prometo não me estender tanto na minha opinião a respeito de cada um.
Assim como o livro anterior, fiquei bem dividida em relação as histórias. Todas são muito bem escritas, tem personagens interessantes e quando se cruzam é muito divertido de acompanhar. Porém, uns me conquistaram mais que outros e já explico o motivo.
O primeiro conto, da Suzanne Enoch, foi o que menos gostei e deixo claro que isso não se deu apenas pelo meu pé atrás com a autora (eu paguei minha língua, depois que li um livro dela e gostei, vocês sabem) e sim por conta da história, que começou bem promissora e acabou se transformando numa enrolação sem fim. Foi divertido, mas também foi arrastado e quase pulei a leitura dele e segui para o próximo.
O segundo melhorou visivelmente e eu, que estava com muito medo de me decepcionar com esse conto (já que no livro anterior a autora acabou não correspondendo minhas expectativas com sua trama tão promissora), comecei a me animar com a leitura. A personagem principal é maravilhosa e seu jeito peculiar de vestir e a forma como agia me ganharam completamente. Achei maravilhoso trazer uma mocinha que foge tanto dos padrões da época, não só na questão da personalidade forte, mas da forma como encara a moda da época. Liza, com certeza, seria alguém que eu gostaria de ter como amiga.
No conto da Mia, ah que mulher maravilhosa, eu já estava entregue. Sabia que ela não me decepcionaria e, mais uma vez, me vi fisgada por sua trama divertida e romântica, daquele tipo fofinho que faz a gente suspirar. Gostei muito dos personagens e da história clichê, porém cativante, que ela nos brindou. Posso dizer que terminei a leitura com vários corações pulsantes ao meu redor.
Com Julia Quinn não foi diferente e tanto a história dela como a da Mia se tornaram as minhas preferidas. Ela conseguiu me conquistar com a história simples, porém apaixonante, e pelos personagens que são ainda mais fofos. Terminei a leitura desejando um David pra mim, afinal de contas ele é tudo que uma mulher sempre desejou. Foi lindo, foi romântico, foi divertido e me levou às lágrimas em alguns momentos. Num belo resumo: teve tudo que me agrada em um livro.
De uma maneira geral, eu gostei muito do livro. Foi uma leitura rápida (com exceção do primeiro conto) e que me cativou bem mais que o primeiro livro. São histórias doces, que acalentam nossos corações sonhadores e alimentam aquela vontade de viver um amor arrebatador como aqueles que encontramos em suas páginas. Recomendo muito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário