segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Top 3: Aqueles Clichês que me Cansam




Hoje é dia de Top e dessa vez decidi fazer algo diferente. Sempre escolho um tema e apresento livros que se encaixam nele. Porém, há um bom tempo penso em falar de algumas coisas que andam me incomodando em alguns livros e aí veio a ideia de contar pra vocês quais os 3 clichês que andam me cansando. Vamos conhecer?

1- O melhor amigo da mocinha

Vamos começar logo com o que mais tem me incomodado, principalmente nos chick-lits: o melhor amigo. Alguém me explica porque o melhor amigo da mocinha tem, quase sempre, que ser gay? Ou, pior ainda, porque quando ele é hétero tem sempre que ser apaixonado pela protagonista?
Eis aí duas perguntas que sempre permeiam minha mente. Eu sou o tipo de pessoa que acredita em amizade entre homem e mulher, que vê muitas pessoas gritando aos quatro ventos que isso é possível sim...mas porque nos livros isso não acontece também? Só pode haver amizade sem interesse romântico se ele for gay?
Esse questionamento bateu à minha porta em 2016, mais precisamente no finalzinho dele (em novembro), quando li dois livros, com histórias bem distintas, mas que apresentavam esse clichezão. No primeiro dele a mocinha tinha um melhor amigo fofo, que fazia tudo por ela, movia montanhas caso precisasse e, um belo dia, percebeu que a amava. Porém, ela já estava apaixonada por outro bonitão e partiu o coração do rapaz em pedacinhos. No segundo livro, adivinhem só, aconteceu a mesmíssima coisa! Comecei a prestar atenção nesses detalhes, fui pegando alguns livros e percebendo que essa história do melhor amigo é usada muitas vezes. 
Não sei quanto a vocês, mas é algo que me faz revirar os olhos de indignação. Por favor, vamos inovar!

2- A mocinha estabanada

Esse é o maior clichê dos chick-lits. Eu pensei, repensei e cheguei a conclusão de que, até agora, todos os livros do gênero que li são protagonizados por mocinhas estabanadas, que saem derrubando tudo ao seu redor, caindo de formas inigualáveis e dividindo os micos no crédito, parcelados em 12x sem juros.
Ok, eu sei que o divertido da trama é ver a mocinha pagando mico, prendendo o dedão do pé na garrafa de refrigerante, caindo na piscina de roupa e tudo porque saiu andando feito uma louca sem olhar o que estava à sua frente (ou costas), sendo quase atropelada, fazendo e acontecendo por conta do seu jeito desengonçado de ser. Mas, adivinhem só, gente que não é estabanada, desastrada ou similar também passa por esse tipo de coisa. E eu adoraria ver mais protagonistas gente como a gente, que passam por situações cômicas mas que não são um desastre ambulante. Entendem o que estou falando? Mocinhas menos estereotipadas, mais "gente como a gente" e diferentes das muitas que vejo por aí. Acho que traria um diferencial e sairia um pouco da mesmice.

3- O vai e vem do casal

Se tem uma coisa que eu praticamente já sei que vai acontecer na maioria dos romances que leio é que o casal vai ficar junto, depois vai se separar e no final farão as pazes e ficarão plenos e felizes. 
"Mas Neyla, você tá chata, heim mulher? Tem prato na tua pia pra lavar não? Para de reclamar de algo que é tão comum e todo mundo gosta.". Olha você tocando no ponto chave, minha amiga. Esse é o clichê mais clichê dos romances e que muita gente gosta, ou não dá a mínima pra esse mero detalhe. Mas, já dizia minha mãe muito sabiamente que "eu não sou todo mundo". Não é que eu não goste disso, vejam bem. O fato é que é algo usado tantas e tantas vezes, de forma tão exaustiva que acaba cansando e é o que aconteceu comigo. Eu até entendo que algumas separações deem um pouco de emoção à trama, mas tem umas que não acrescentam em nada e é tão chato ver que uma coisinha à toa separou o casal só para juntar eles novamente no grand finale. Enfim...tô cansada disso e fico feliz demais quando encontro livros que fogem dessa tradição. 
Sei que sou uma defensora dos clichês e que aqui no blog já levantei a bandeira de muitos que são bem utilizados por inúmeros autores. Mas tudo tem uma exceção e essas são as minhas. Agora contem pra mim: o que vocês já estão cansados de ver em livros e gostaria que fosse diferente?
Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário