segunda-feira, 18 de março de 2019

Boneco de Pano

VOCÊ ESTÁ NA LISTA DE UM ASSASSINO. E ELA DIZ QUANDO VOCÊ VAI MORRER.
O polêmico detetive William Fawkes, conhecido como Wolf, acaba de voltar à ativa depois de meses em tratamento psicológico por conta de uma tentativa de agressão. Ansioso por um caso importante, ele acredita que está diante da grande chance de sua carreira quando Emily Baxter, sua amiga e ex-parceira de trabalho, pede a sua ajuda na investigação de um assassinato. O cadáver é composto por partes do corpo de seis pessoas, costuradas de forma a imitar um boneco de pano.
Enquanto Wolf tenta identificar as vítimas, sua ex-mulher, a repórter Andrea Hall, recebe de uma fonte anônima fotografias da cena do crime, além de uma lista com o nome de seis pessoas – e as datas em que o assassino pretende matar cada uma delas para montar o próximo boneco. O último nome na lista é o de Wolf.
Agora, para salvar a vida do amigo, Emily precisa lutar contra o tempo para descobrir o que conecta as vítimas antes que o criminoso ataque novamente. Ao mesmo tempo, a sentença de morte com data marcada desperta as memórias mais sombrias de Wolf, e o detetive teme que os assassinatos tenham mais a ver com ele – e com seu passado – do que qualquer um possa imaginar.
Com protagonistas imperfeitos, carismáticos e únicos, aliados a um ritmo veloz e uma deliciosa pitada de humor negro, Boneco de Pano é o que há de mais promissor na literatura policial contemporânea.
Título: Boneco de Pano
Autor (a): Daniel Cole
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 336


O detetive William Fawkes, mais conhecido como Wolf, ja passou por muita coisa em sua vida, mas sem dúvida o que mais marcou sua carreira foi o caso do Cremador. O homem em questão, Naguib Khalid, estava sendo acusado de matar crianças queimadas e Wolf foi o responsável pela sua prisão. Tudo levava a crer que o homem seria responsabilizado por seus atos, até que há uma reviravolta e ele acaba sendo inocentado. Em meio ao caos que se instaura, Wolf acaba atacando o réu e, com isso, vira o grande vilão da história, é afastado da polícia e obrigado a se internar em uma clínica psiquiátrica.
Anos depois do acontecido, ele está de volta ao seu antigo posto, dessa vez em um caso complexo e misterioso. O caso em questão é a respeito de um corpo encontrado pendurado em um apartamento. Quando chega no local, ele se depara com algo bizarro, bem diferente das muitas ocorrências que já atendeu. O corpo logo é denominado de boneco de pano, porque é formado por partes do corpo de pessoas diferentes. Somente a cabeça é reconhecível, as demais partes são um mistério e a polícia precisa desvendar o que está acontecendo.
Contudo, não pense que acaba por aí. O assassino, muito audacioso, envia uma lista com o nome de suas próximas vítimas e a data em que irá matá-las. E o último nome da lista é o de Wolf. Começa então uma verdadeira corrida contra o tempo para salvar as possíveis vítimas, descobrir de quem são as partes do corpo que se encontram no boneco e chegar até o assassino.
Sempre fui muito fã dos thrillers e esse era um livro que estava na minha lista de leituras desde o lançamento. Ouvi muitos comentários positivos a respeito dele e já imaginava que seria uma daquelas leituras ágeis que deixam o leitor curioso. E ele realmente foi tudo isso. Muito embora a história não tenha um ritmo muito acelerado, ela tem agilidade e muita ação. O autor mescla fatos do passado do detetive Wolf à narrativa, o que vai tornando a leitura ainda mais interessante. Em meio a investigação, Daniel Cole vai nos deixando pequenas pistas do que pode estar acontecendo e, aos poucos vamos montando, junto com os personagens, esse intrincado quebra-cabeça. 
Apesar de ser o personagem principal e estar sempre em evidência, Wolf não conquistou minha simpatia. Acho que isso se deu pelo fato dele ter um jeito mais grosseiro de lidar com as pessoas e não saber lidar com suas emoções. Acho que esse foi um dos motivos de não ter dado nota máxima no livro. Não sei quanto a vocês, mas eu preciso me sentir próxima do personagem principal ou pelo menos me sentir cativada por ele e, nesse ponto, achei que faltou muito para me sentir conquistada. Eu até entendo o lado dele, mas em questão de carisma deixa muito a desejar.
Edmunds, o estagiário, foi quem eu mais gostei na trama. Inteligente e sagaz, foi desacreditado pela equipe diversas vezes, mas fez descobertas incríveis. Eu não vou mentir que, inicialmente, tive uma suspeita do rapaz. Se eu tô lendo um thriller é pra suspeitar de Deus e o mundo, minha gente. Mas bastou dar umas viradas de páginas pra ir conhecendo-o melhor e percebendo que o que ele queria mesmo era ajudar a desvendar esse mistério. Na minha opinião, ele foi quem mais se destacou.
Gostei bastante do livro e fiquei curiosa para ler outros livros do autor. Não vou mentir que eu já desconfiava de algumas coisas, afinal o autor vai deixando pequenas pistas no decorrer da leitura. Porém, eu estava apostando em uma coisa e ao descobrir o grande mistério, fui surpreendida por ser algo bem diferente do que imaginava. Não vou mentir: não achei o final maravilhoso. Embora a revelação tenha me surpreendido, esperava um fim diferente. Porém, se formos parar pra analisar todo o livro,  percebemos que foi conivente com o que vinha sendo apresentado durante toda leitura. 
Se eu recomendo a leitura? Com certeza! É uma leitura rápida, cheia de ação e que prende o leitor. Mesmo com todo o meu ranço do Wolf, eu adorei o que encontrei. Vale a pena conhecer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário