quarta-feira, 3 de abril de 2019

Shazam!




Todos temos um super-herói dentro de nós; só é preciso um pouco de magia para que ele ganhe vida. No caso de Billy Batson, basta gritar uma palavra -SHAZAM!- para que o jovem malandro de 14 anos se transforme no super-herói adulto Shazam, cortesia de um antigo mago. Um menino em sua essência - dentro de um corpo sarado, como o de um deus - Shazam se esbalda nesta versão adulta dele mesmo fazendo aquilo que qualquer adolescente faria com superpoderes: divertir-se com eles! Ele é capaz de voar? Tem visão de raio-X? Consegue soltar raios pelas mãos? Pode perder a prova de estudos sociais? Shazam começa a testar os limites de suas habilidades com a despreocupação típica de uma criança. Contudo, ele precisará dominar estes poderes rapidamente para lutar contra as forças do mal controladas pelo Dr. Thaddeus Sivana.
Título: SHAZAM!
Lançamento/Duração: 2018 - 2h 12min
Gênero: Aventura/Ação/Comédia
Direção: David F. SandbergRoteiro: Henry Gayden e Darren Lemke
Elenco: Asher Angel, Mark Strong, Zachary Levi, Cooper Andrews, Djimon Hounsou, Faithe Herman, Grace Fulton, Ian Chen, Jack Dylan Grazer, Jovan Armand, Marta Milans


A DC foi criticada durante muito tempo por seu tom sombrio - embora seja isso que agrade muitos de seus fãs - e desde Mulher Maravilha tem se esforçado para acrescentar cor e vida aos filmes de seus personagens e se desligar do universo compartilhado dark de Zack Snider. Isso torna curioso o fato de seus filmes mais livres, coloridos e divertidos - Aquaman e Shazam! - tenham sido dirigidos por nomes ligados ao cinema de horror e terror.
David F. Sandberg (Anabelle 2: A Criação do Mal e Quando As Luzes Se Apagam) foi incumbido da missão de trazer para as telas um dos mais icônicos, coloridos e inocentes personagens do universo DC. Shazam sempre foi um conceito carregado de esperança e bom humor, transitando entre os universos mágico e o super-heroico da editora, uma excelente aposta nas mãos de um diretor talentoso e mais um contraponto a linha que os filmes da editora seguiam anteriormente. Na soma dos pontos, o resultado é um saldo muito positivo.
Billy Batson (Asher Angel) é um adolescente problemático que foge de todos os lares adotivos pelos quais passa, na esperança de reencontrar a mãe, da qual foi separado ainda pequeno. O jovem recebe mais uma chance e é encaminhado para uma nova e acolhedora família formada por novos pais e irmãos que viveram a mesma realidade que ele. Após uma série de acontecimentos, o garoto acaba convocado por um mago (Djimon Hounsou) para ser seu campeão e deter os sete pecados se transformado no superpoderoso Shazam (Zachary Levi). Com a ajuda do irmão adotivo e aficionado por super-heróis, Freddy Freeman (Jack Dylan Grazer), Billy passa a tirar proveito de sua nova condição e aprontar diversas confusões, até ser confrontado pelo Dr. Silvana (Mark Strong), também dono de habilidades mágicas, e precisa descobrir o que é ser um herói.
Com uma trama simples, mas bem amarrada e coesa que ultrapassa maior parte de seus defeitos rindo de si mesma, e fortes influências de filmes como Quero Ser Grande, Shazam! chega com uma narrativa ágil, boas doses de humor, sacadas rápidas e inesperadas, e diversos outros elementos que devem agradar os públicos de todas as idades. Mais que um filme sobre um super-herói, o longa se mostra um filme que usa o personagem como uma ferramenta narrativa para complementar a narrativa sobre os personagens envolvidos na trama. E claro, não esquece de trabalhar o senso de perigo e a ação, que embora mais fraca, é justificada dentro da trama pelo fato do protagonista ser um adolescente no corpo de um adulto e não ser um excelente lutador. Apesar de muitas coisas boas trem sido mostradas nos trailers, várias outras surpresas positivas foram guardadas para longa. 
Os personagens - incluindo os coadjuvantes - são cativantes e as relações entre eles são muito bem trabalhadas. Asher Angel cumpre o seu papel ao dar vida aos conflitos emocionais de Billy Batson, mas entre os jovens atores é Jack Dylan Grazer que rouba a cena no papel de Freddy mostrando talento tanto para o drama quanto para a comédia. Contrapondo sua parte jovem, Zachary Levi dá show como Shazam, abraçando o cômico e entregando exatamente o que seria um adolescente com todos poderes de um semideus e nenhuma responsabilidade, formando uma excelente dupla com Grazer.
Os pontos fracos não chegam a atrapalhar o resultado final do filme, mas certamente estão presentes. O vilão Silvana, vivido por Mark Strong, é inicialmente bem construído, mas acaba beirando o caricato a medida que o filme avança. Apesar de optar por utilizar mais efeitos práticos e menos efeitos digitais, incluindo as cenas de voo com os atores içados por cabos, existem alguns momentos  em que o traje quase escandaloso do personagem faz com se destaque demais na cena, ressaltando os retoques e efeitos de CGI e o descolando da realidade. As coreografias de ação são simplistas, mas justificadas.
Shazam! pode não ser um filme de ação de grande destaque, mas é uma comédia de aventura muito competente, irreverente, despretensiosa e envolvente, que supera seus defeitos, diverte o espectador e entrega personagens marcantes e cativantes. Certamente vale a pena o investimento do ingresso!


2 comentários:

  1. Meu Deus, a cada lançamento da DC, eu choro um pouco. Fico esperançosa, e até animada, mas acaba que sempre me decepciono. Não tem jeito, eles só conseguem fazer animação. Desisto. Vou assistir só por descarrego de consciência, e pra saber como ficou, mas vou desapegar a partir desse.


    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  2. Ainda não acredito que não assisti Shazam, nem Aquaman! Preciso mudar isso logo. Já conheço a história de Shazam e tudo o que vc falou na sua resenha é bem aproximado do que eu imagino que o filme será. Apesar dos defeitos que você apontou espero gostar da comédia.
    Abraços,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir